Em 1999, um treinador retorna ao seu antigo colégio e tem como missão treinar a equipe de basquete.

Em um bairro periférico, a violência é presença constante no local, com isso, é preciso ensinar além do Basquete, valores morais e disciplina.

Em uma das cenas do filme, os atletas quebram as regras, após se tornarem campeões, mas são repreendidos pelo treinador, até que um atleta solta a seguinte frase.

“Nós fomos campeões, hoje nós podemos tudo”.

O esporte tem várias vertentes e traz várias possibilidades, desde a transformação social até a transformação pessoal.

A transformação social é o que você pode fazer através do esporte, é um senso coletivo e de liderança muito grande.

Já a transformação pessoal, é o que o esporte pode fazer por você, e muita das vezes pode ser perigoso.

O Brasil se tornou o epicentro da pandemia e necessita de bons exemplos, principalmente de pessoas e instituições que tem o poder de influenciar.

Faltou bom senso ao atleta em entender o momento e a sua posição.

A mesma critica se estende ao clube que não se pronunciou e nem tomou medidas punitivas em relação a atitude do jogador.

Todo esse cenário, traduz bem o que é o nosso país, e as oportunidades que atletas e instituições perdem de transforma-lo.

Ah, por fim, pra quem não conhece, “Coach Carter – treino para a vida” é um excelente filme, e deveria ser obrigatório para quem trabalha com esporte.