O sistema ofensivo do Volta Redonda ganhou dois reforços para o Campeonato Carioca. Os atacantes Renan Gorne, de 22 anos, ex-Botafogo-RJ, e João Carlos, de 31 anos, que estava no Cuiabá-MT, mas que pertence ao Madureira-RJ, se apresentaram ao Esquadrão de Aço nesta segunda-feira, dia 10. Os dois atletas chegam por empréstimo até o final do Estadual de 2019, com opção de prorrogação, a critério da vontade do clube, até o final da Série C.

Revelado pelo Botafogo, clube que o emprestou ao Voltaço, Gorne se destacou em 2016, quando marcou 31 gols e foi campeão brasileiro e carioca pelo sub-20 do alvinegro. O novo atacante tricolor acumula ainda passagens pelo North Carolina FC (EUA), em 2017, e o Paysandu-PA, no primeiro semestre deste ano, quando conquistou o Estadual.

O Volta Redonda está vindo em uma crescente muito grande nos último anos, está montando um elenco forte para a próxima temporada e está sendo um prazer enorme vir para cá. Espero conseguir fazer grandes partidas e alavancar a minha carreira junto com o clube – destacou Gorne, que ainda falou sobre as características dentro de campo.

Sou um atacante camisa 9, tenho como principais características o meu posicionamento dentro da área e a finalização – completou.

Com dois acessos para a Série B no currículo, em 2014 com o Macaé, quando também conquistou o título brasileiro, e em 2018 com o Cuiabá-MT, João Carlos conhece bem o futebol carioca. Além do Macaé, ele também já defendeu o Duque de Caxias, Resende e o Madureira, clube onde conquistou a Taça Rio de 2015 junto com o treinador Toninho Andrade.

Trago para o Volta Redonda um pouco da experiência de ter disputado mais uma Série C, que é uma competição muito difícil, e ter conquistado mais um acesso para a Série B. Chego em mais um grande clube na minha carreira e espero ajudar meus companheiros a fazer um grande Estadual – ressaltou.

Voltaço negocia o volante Pablo com o Confiança-SE

O Volta Redonda anuncia que chegou a um acordo com o Confiança-SE e o volante Pablo está se transferindo para o clube sergipano. Na negociação, o Voltaço assegurou um percentual dos direitos econômicos do atleta em uma possível venda.

Segundo o vice de futebol Flávio Horta Júnior, o contrato do volante se encerraria em 2019 e, depois da investida do Confiança, as partes não conseguiram chegar a um acordo sobre a renovação.

– O atleta só tinha mais alguns meses de contrato com o Volta Redonda e recebeu uma proposta muito vantajosa do Confiança. Conversamos com a comissão técnica e entendemos que, caso o Confiança aceitasse as nossas condições, poderíamos fazer a liberação imediata, até porque o atleta estava a poucos meses de poder assinar um pré-contrato e sair livre. Na negociação, conseguimos assegurar um percentual em uma possível venda do jogador, pelo menos nos próximos três anos, iniciando nossa porcentagem em 60% e tendo como mínimo 30%, diminuindo de acordo com o tempo que o atleta ficar no clube sergipano, até em função do investimento que o clube fará no jogador – explicou.