O presidente da Associação dos Aposentados e Pensionistas de Volta Redonda, Ubirajara Vaz, aproveitou a visita do presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, a Volta Redonda, no último sábado, para entregar ao parlamentar um documento onde solicita mudança na chamada PEC Paralela, oriunda do Senado, que trata da reforma da Previdência para estados e municípios. A Associação aproveitou a ida de Rodrigo Maia ao Clube Comercial para mostrar uma faixa pedindo mudança na PEC.

Ubirajara explicou que a PEC 133 (a chamada Paralela) propõe, entre outros artigos, o fim da isenção dos 20% de imposto patronal a entidades filantrópicas das áreas da Educação e Saúde e que, se isso for aprovado, inviabilizará diversas instituições, que prestam relevantes serviços à população.

“Nós concordamos que deva haver uma fiscalização rígida, como ocorre com a AAP-VR, que, por ter o Certificado de Entidades Beneficentes de Assistência Social na área da Saúde (CEBAS), é auditada por empresas independentes e pelo próprio Ministério da Saúde, mas não que a isenção, que beneficia milhares de pessoas, seja cortada”, explicou.

O presidente da Associação dos Aposentados disse, ainda, que pesquisa realizada pelo Fórum Nacional das Instituições Filantrópicas (FONIF) comprova que, na área da saúde, para cada R$1,00 recebido por uma entidade filantrópica séria, o retorno em serviço é 8,26 vezes maior.

“A nossa associação destina, anualmente, quase R$ 1 milhão à filantropia. Isso significa que cerca de R$ 8 milhões retornam para a população, em termos de serviço”, disse Ubirajara Vaz.

Mais de 10 mil consultas mensais

Com R$ 58,00 de contribuição mensal, a Associação dos Aposentados e Pensionistas de Volta Redonda presta mais de 10 mil consultas médicas mensais, mantém equipes de fisioterapeutas, com aparelhos de última geração, não somente para a restauração da saúde, como, também, para a prevenção. Também faz milhares de procedimentos odontológicos, além de palestras e dezenas de cursos, que se tornam verdadeiras terapias para milhares de associados.

“Temos a convicção de que Filantropia salva vidas, principalmente num País de tanta desigualdade social, como Vossa Excelência bem sabe. E que a nossa Associação contribui – e muito – para a melhoria da qualidade de vida, não somente dos nossos associados, como, também, da população em geral.Baseados nisso, contamos com a sua sensibilidade para, na Câmara, modificar o artigo da PEC 133/2019 que institui a cobrança às entidades filantrópicas, sob pena de, se isso não ocorrer, todo esse trabalho se tornar inviável”, escreveu Ubirajara Vaz, no documento entregue ao deputado Rodrigo Maia.