Retomadas das obras das Estações de Tratamento de Esgoto são apontadas como prioridades

O Saae-BM (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Barra Mansa), realizou na noite desta terça-feira (18), audiência pública na Aciap – BM (Associação Comercial, Industrial, Agropastoril e Prestadora de Serviços) para debater o Plano Municipal de Saneamento Básico. O evento contou com a presença da vice-prefeita Fátima Lima, do diretor executivo da autarquia, Fanuel Fernando, do secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Carlos Roberto de Carvalho, do presidente do Condema (Conselho do Meio Ambiente), Vinícius Azevedo, do vereador José Abel e do secretário da Aciap -BM, Manoel dos Santos Duarte.

Durante a reunião, Fanuel Fernando citou os principais objetivos do Plano de Saneamento, como a conclusão das obras das Estações de Tratamento de Esgoto dos bairros Ano Bom, Saudade e Barbará. Disse ainda que o grande desafio do Saae é o tratamento do esgoto. “A audiência norteia o rumo a ser tomado pelo município, apontando as prioridades no que se refere à saneamento básico. Temos as obras de três ETEs paralisadas desde 2016 e, estamos resolvendo os entraves burocráticos para retomarmos esses serviços. Estamos em processo de licitação para uma nova estação de tratamento em Saudade, vamos terminar a estação do Ano Bom e estamos trabalhando muito para retomar as obras da estação da Barbará. O tratamento do esgoto sanitário, que uma obra imperceptível aos olhos da população, mas de grande importância para a preservação do meio ambiente, será um dos grandes legados deixados pelo prefeito Rodrigo Drable”, disse Fanuel.

A vice-prefeita Fátima Lima, disse da sua satisfação em participar do evento. “É uma audiência pública que tem o objetivo de atender as necessidades de Barra Mansa no que diz respeito à implantação de políticas públicas de saneamento básico”, ressaltou Fátima Lima.

O secretário de Meio Ambiente, Carlos Roberto de Carvalho, o Beleza, reafirmou a importância da ação de saneamento básico como forma de preservação do Rio Paraíba do Sul. “Nossa posição em relação à parte ambiental é de que é importante haver um planejamento para os próximos 20 anos e entender como o município vai se preparar para o abastecimento de água potável e o tratamento de esgoto. Pedimos que fosse incluída no Plano de Saneamento uma porcentagem da tarifa arrecadada da coleta de esgoto para as compensações ambientais e estar atentos as ações de preservação do Rio Paraíba do Sul, nosso maior recurso hídrico responsável pela totalidade de abastecimento das cidades do vale Paraíba Paulista, do Sul Fluminense e região Metropolitana do Rio de Janeiro”, completou o secretário.

A audiência pública do Plano Municipal de Saneamento Básico, referente aos serviços de abastecimento de água potável e de esgotamento sanitário de Barra Mansa (RJ), é uma exigência da Lei Federal nº 11.445 de 05 de janeiro de 2007, que estabelece as diretrizes nacionais para o saneamento básico, no qual se identifica, qualifica, quantifica, organiza e orienta todas as ações públicas ou privadas, para que os serviços públicos sejam prestados ou colocados à disposição da sociedade com a máxima eficiência.