Nessa quarta-feira, dia 25, acontece mais um encontro com associações de moradores para propostas ao Orçamento Participativo 2019

Na próxima quarta-feira, dia 25, a partir das 17 horas, a Secretaria Municipal de Planejamento, Transparência e Modernização da Gestão (Seplag), estará debatendo com o Comitê do Orçamento Participativo (COP), associações de moradores, movimentos populares, novas propostas para o Orçamento  Participativo 2019. A reunião, que acontece na sede da secretaria, na Avenida Paulo de Frontim, 457, Aterrado, é aberta a todos interessados para uma maior  participações das associações e entidades representativas.

O prefeito Samuca Silva, lembrou que são obras importantes no dia a dia dos bairros : “No OP passado nós reservamos R$ 30 milhões de recursos  para pequenas obras nas comunidades, atendendo prioridades dos moradores indicadas pelas associações. Os representantes dos bairros podem acompanhar a execução dessas obras, com a transparência que deve existir no relacionamento poder público e comunidade”.

A presidente do Comitê e chefe de gabinete da Seplag, Bárbara Cunha, destacou os avanços das propostas para atender a todos os bairros, destacando que de 87 bairros, 46 já fizeram as suas assembléias para apresentação de propostas ao Orçamento em discussão.  A inovação deste ano será a publicação de um edital para Chamada Pública nos bairros sem representação legal, para que as lideranças comunitárias se apresentem e representem os seus bairros. Assim, nenhum bairro ficará sem atuação das prioridades de investimentos, junto ao OP.

O resultado dos debates e reuniões tem sido positivo. O Orçamento Participativo é uma ferramenta pública que permite que cada cidadão ou cidadã decida sobre os investimentos prioritários a serem realizados no município. Além das assembléias presenciais nos bairros, os internautas podem contribuir pelo OP Digital, onde qualquer cidadão poderá decidir as prioridades das demandas, por voto, acessando a nossa página na Internet”, explicou Bárbara.

O ciclo da realização do Orçamento Participativo 2018-2019 passará por diversas fases até dezembro, entre elas, a definição pelo executivo do valor destinado ao OP 2019, assembléias nos bairros, realização do II Forum do OP, assinatura do Termo de Compromisso das associações, definição dos  Indicadores de Qualidade de Vida Urbana (IQVU) para divisão dos recursos e Audiência Pública da Lei Orçamentária Anual (LOA).