Cidade Destaque

Mais de 600 mulheres foram atendidas em Volta Redonda pela Patrulha Maria da Penha em 2019

Lei de proteção as mulheres completa 13 anos nessa quarta feira

Nesta quarta-feira, dia 07, a Lei Maria da Penha vai comemorar 13 anos de sua aprovação. Ela visa proteger a mulher da violência doméstica e familiar. Em Volta Redonda, a secretaria municipal de Políticas para Mulheres, Idosos e Direitos Humanos (Smidh) oferece um amplo serviço de atendimento para as vítimas de agressão doméstica.

Um deles é a Patrulha Maria da Penha, serviço voltado para garantir a efetividade de medidas protetivas deferidas pela Justiça nos casos de mulheres vítimas de violência doméstica e/ou familiar. Neste primeiro semestre de 2019, mais de 600 mulheres foram atendidas pelo serviço. E aproximadamente 120 novas medidas protetivas foram expedidas no período de janeiro a junho desse ano na cidade.

A equipe da Patrulha é formada por dois Guardas Municipais, ligada à Smidh. A dupla utiliza viatura própria, caracterizada, para a ação. A partir do comunicado da emissão da medida protetiva, feita por parceria entre a prefeitura e o Poder Judiciário, os patrulheiros do projeto entram em contato com a mulher agredida.

As mulheres atendidas pela Patrulha contaram como foi ter esse apoio durante o processo. “Eu sofri violência doméstica, fiz o registro na Deam (Delegacia de Atendimento a Mulher), tive a medida protetiva e estou sendo acompanhada pela Patrulha Maria da Penha me auxiliando no processo e no que eu devo fazer. Foi muito importante ter esse apoio”, disse Franciele.

“Eu me separei a poucos meses e meu ex marido se tornou ainda mais agressivo após a separação. A Patrulha tem me ajudado muito, me dando suporte para eu conseguir sair dessa situação. Eu sou muito grata, estou sendo incentivada a buscar os meus direitos”, contou Marcela.

A secretaria da pasta, Dayse Penna, falou que a visibilidade desses casos tem proporcionado um movimento da sociedade em benefício a essas mulheres. “É inegável o avanço da política pública da mulher no município a partir da Lei Maria da Penha. E percebemos isso através do retorno que a gente tem das mulheres atendidas”, informou Dayse.

O prefeito Samuca Silva lembrou que esse é apenas um dos serviços oferecidos para as mulheres de Volta Redonda. “A gente precisa que toda rede atue e trabalhe adequadamente. A patrulha faz acompanhamento das mulheres na medida protetiva. E temos ainda os serviços de assistência social, jurídica e psicológico”, afirmou o prefeito.