Cidade Destaque

Encontro Nacional de Motociclistas Falcões do Aço arrecada cerca de 5 toneladas de alimentos para entidades

Evento de três dias, atraiu motoclubes de vários estados para a Ilha São João em  Volta Redonda e teve o apoio da prefeitura

A Ilha São João recebeu neste final de semana, sexta-feira, sábado e domingo( dias 28, 29 e 30) de junho, o  24º Encontro Nacional de Motociclistas e Triciclistas, que atraiu motoclubes dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina, Pernambuco, Alagoas. Uma realização do Motoclube Falcões de Aço com o apoio da prefeitura de Volta Redonda.  Shows de Rock e Blues, Boi no Rolete, Praça de Alimentação,  DJs e várias atrações marcaram os três dias da festa. A entrada foi mediante a doação de 2kg de alimento não perecível.

O prefeito Samuca Silva fez um balanço do incentivo: “Eles estão bem organizados em motoclubes de todo o país. A repercussão positiva com a organização do evento, que é nacional, favorece a nossa cidade com o turismo, movimenta a economia, e mostra que sabemos receber bem os visitantes. Assim, estarão sempre retornando ao município e abrindo oportunidades de pequenos negócios para quem deseja empreender”.

O presidente do Falcões de Aço Moto Clube, João Batista dos Reis, citou os benefícios que o evento promoveu para Volta Redonda:

Além de projetar a cidade nas redes sociais pelo país, fortalecendo o turismo no município, há outros benefícios importantes. O ingresso foi 2 kg de alimentos não perecíveis que serão distribuídos para mais de uma dezena de entidades filantrópicasNós conseguimos atrair mais de 350 motoclubes dos estados, movimentamos a economia, o turismo. O Encontro faz parte dos 28 anos de existência do Falcões de Aço completado em 1º de maio”,, diz o presidente do Falcão de Aço, João Batista dos Reis, 60 anos. Ele agradece o apoio recebido da prefeitura:

Nós conseguimos arrecadar cerca de 5 toneladas de alimentos que serão distribuídos para 15 entidades cadastradas que atendem há 3 mil famílias em Volta Redonda. Em nome da diretoria e dos 90 associados do nosso clube, agradeço muito o apoio na pessoa do prefeito Samuca Silva e todo o secretariado. Porque  sem este apoio, o incentivo da prefeitura, não conseguiríamos realizar uma festa deste tamanho. comparou.

Logo na entrada, um Jeep ficou pendurado há cerca de 20 metros do chão pela entidade Resistência Off Road. A fila para comer o boi no rolete durou apenas algumas horas no segundo dia da festa. Barracas de roupas, expositores de produtos e acessórios diversos para motociclistas e por quem curte o Rock, manobras radicais feitas por um grupo de 10 motociclistas na pista preparada para a ousadia dos pilotos de motos, bandas que se apresentavam num palco montado bem no meio do pavilhão,   motos de pequenas a grandes portes, como as Harley Davidson, carros antigos foram destaques.

A união das tribos, citando o Clube do Jeep, Opaleiros, Cheveteiros, Equipe Vivendo no Baixo(VNB) com carros rebaixados, área de camping para os acompanhantes tomar banho quente, servir o café da manhã,  agradou o público participante.

Luciano da Silva Pereira, 43 anos, da Associação VR de Manobras Radicais Arena 22,  que trabalha com carros, festejou o resultado: “Esta é uma festa para as famílias, sem bagunça, muito bem organizada. A cidade sabe receber os visitantes. Estamos satisfeitos em participar desta parceria com o Falcões do Aço “, comentou.

 Davi Guimarães, de Cabo Frio, confirma o sucesso do evento: “Eu tinha três locais diferentes para este final de semana, fiz a opção por Volta Redonda porque aqui é tudo bem organizado,  teria o incentivo da prefeitura. A escolha foi acertada”.

Leonardo Barbosa, 33 anos,  do Motoclube Anjos de Angra, também é somente elogios: “Maravilhoso esse encontro nacional aqui na cidade porque nos dá a chance de rever os amigos. É a questão da fraternidade entre os motociclistas que comparecem, porque um fala para outro e aumenta a expectativa da festa”, disse.  O aposentado Jair Thomé, 70 anos, saiu de casa no Santo Agostinho e foi curtir o Encontro Nacional dos Motociclistas: “Não tem brigas, não tem confusão. Muito boa a festa”, afirmou.

Hildemir Oliveira Bal, do motoclube Colt 45, de Juiz de Fora, elogiou: “Aqui tem o pavilhão coberto que protege do sol ou da chuva e não prejudica o evento. Virei sempre que puder”, informou.  Um casal de Barra do Pirai, Daniele Braga e Ronan Asbahr, do grupo Ratos Loucos, também adoraram a festa dos motociclistas e triciclistas: “Valeu a pena a gente ter vindo pela primeira vez. Não sabíamos que era tão boa, organizada, com tantas atrações”, concluiu Daniele.