Professores de Barra Mansa que investiram no ramo de suculentas têm sido convidados para exporem seus produtos fora do Estado do Rio

A 20ª Flumisul (Feira de Negócios do Sul Fluminense) que aconteceu em Barra Mansa no início do mês já vem apresentando resultados positivos para os expositores. O espaço Agro BM, organizado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural, foi um dos grandes destaques recebendo durante os cinco dias milhares de visitantes e clientes. Quem está faturando alto com a participação na Feira de Negócios são os empreendedores Neuber Oliveira e Luciana Viana da empresa “Nossa Casa Suculentas”. Professores empregados, eles decidiram investir no ramo de suculentas, plantas nas quais a raiz, o talo ou as folhas foram engrossadas para permitir maior armazenamento de água.

diversidade de plantas fez do negócio um grande ‘boom’ nos últimos anos, atraindo um público bastante exigente, principalmente mulheres. O negócio ainda é novo, tem apenas seis meses. Com o lema “Plante seu jardim e decore sua alma”, Neuber conta que a ideia surgiu após um período difícil emocionalmente para a família. “O médico nos orientou a ter um hobby que distraísse a mente e ao mesmo tempo ocupasse o tempo ocioso. Foi então que, eu e minha esposa, começamos a adquirir suculentas e tivemos a ideia de oferecê-las como lembrancinha do nosso casamento. Os convidados adoraram o presente e tivemos ideia de empreender”.

Os educadores abriram um registro de MEI (Micro Empreendedor Individual) e começaram vendendo em casa, nas feiras e no Torneio Leiteiro de Antônio Rocha. “O apoio das Secretarias de Desenvolvimento Econômico e Rural foi fundamental para que esse sonho tornasse realidade e tivéssemos esse reconhecimento. O processo para a abertura do MEI foi super tranquilo e facilitou para que começasse o negócio em pouco tempo”.

Na primeira oportunidade de expor numa Feira de Negócios durante a 20ª Flumisul, o casal não perdeu tempo e vendeu mais de 770 suculentas. O sucesso foi tão grande que no último dia, o estoque já havia esgotado. “Foi um retorno muito satisfatório. As pessoas que não conheciam o cultivo de suculentas ficavam admiradas e retornavam no dia seguinte para comprar e aumentar a coleção”.

O resultado pós-feira têm sido surpreendente para a dupla de docentes empreendedores, tanto que Neuber já está se dedicando totalmente as duas funções (Educação e a loja de suculentas). As vendas aumentaram cerca de 30% em relação ao período anterior a participação na Flumisul. “Estamos recebendo bastantes encomendas e convites para expor em cidades da região, como Paraty, Volta Redonda e Barra do Piraí e no estado de São Paulo. Eu tinha certeza que a participação na Flumisul seria uma ótima oportunidade de mostrar nosso trabalho, mas não imaginava que teria um retorno tão imediato”, concluiu, afirmando que pretende se especializar na área participando de feiras em Holambra, no Estado de São Paulo, conhecida como a Cidade das Flores.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Inovação, Agnaldo Raymundo, destacou que esse resultado com um empreendedor barramansense mostra a força econômica que a Flumisul gera na região. Segundo ele, o segredo para o sucesso da marca se deve ao ramo diversificado de plantas e a ousadia em arriscar num negócio ainda pouco explorado. “Esse é o segredo de um empreendedor, unir a vontade de crescer com uma ideia inovadora. Prova disso é que a loja de suculentas do Neuber que começou despretensiosamente agora é convidada para expor fora do estado. Nós, enquanto Secretaria de Desenvolvimento Econômico, ficamos felizes pelo sucesso da marca e confiantes de que a Flumisul pode gerar ainda mais frutos até a próxima edição”, declarou, lembrando que a Feira de Negócios tem projeção de gerar um impacto econômico de R$ 31,35 milhões, incluindo o pós-feira.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Rural, José Luiz Vaneli, o Leiteiro, o sucesso do estande Agro BM na 20ª Flumisul reflete o painel econômico do país. Segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil-CNA, o agronegócio é um dossetores mais importantes da economia brasileira atualmente, responsável por 23,5% do PIB em 2017. “Nosso objetivo é dar suporte aos empreendedores e empresários do agronegócio, facilitando os canais de comercialização viabilizando a participação em eventos rurais como os torneios leiteiros e feiras livres, fomentando assim as atividades”.

Leiteiro também ressaltou que o Agro BM se diferenciou dos demais estandes oferecendo aos visitantes opções criativas e sustentáveis. “Acredito que essa gama variada possibilitou a prospecção de mais clientes para vendas futuras. Nós tivemos além das suculentas, microempreendedores vendendo puffs feitos a partir da reutilização de pneus, exposição de animais e de cães farejadores, agropecuária e entrega de mudas de hortaliças pela Secretaria de Meio Ambiente. Esse empreendedorismo criativo e sustentável deve ser estimulado e apoiado sempre”, finalizou.