Relatório final será encaminhado aos Ministérios Públicos Estadual e do Trabalho

 

A Comissão Especial para Avaliaçãodos Serviços Prestados pelas Empresas de Transporte Coletivo no Município de Volta Redonda, integrada pelos vereadores Washington Granato (Presidente), Rodrigo Furtado (Relator) e pastor Washington Uchôa (Membro), encerrou seus trabalhos destacando a necessidade de que a prefeitura realize licitação para todas as linhas de transporte da cidade e não apenas na Viação Sul Fluminense.

O relatório final da comissão foi apresentando em sessão do Legislativo nesta semana e aprovado por unanimidade, seguindo agora ao Ministério Público Estadual e ao Ministério Público do Trabalho.

Após juntarmos centenas de documentos e ouvirmos as partes envolvidas, concluímos que há necessidade de um novo certame licitatório para novas empresas de transporte coletivo no município, em todas as linhas, uma vez que o serviço vem sendo prestado de forma precária, não atendendo as necessidades da população no que diz respeito ao cumprimento dos horários, a quantidade de coletivos e as condições de muitos dos veículos disponibilizados pelas empresas. Somente com uma nova licitação poderemos garantir uma melhoria na qualidade do transporte – destaca Granato, presidente da Comissão.

O vereador Rodrigo Furtado frisou que o preço da tarifa, no valor atual de R$ 3,80 é alto para a população tendo em vista a qualidade dos serviços e a quilometragem rodada dentro do município. O relatório faz um comparativo entre duas linhas a fim de exemplificar as distorções: a linha 405 (Conforto x Coqueiros), que faz um percurso de 12 quilômetros em 33 minutos, com 48 paradas, enquanto a linha Benfica x Leme, no Rio de Janeiro, onde a tarifa e de R$ 4,05 para 20 quilômetros rodados em 80 minutos, com 61 paradas.

Sugerimos ao prefeito a criação de um grupo de trabalho a fim de elaborar metas para nova licitação e melhorias no sistema. Ele salientou que, de acordo com o questionário disponibilizado no site da Câmara Municipal para ouvir a opinião da população, contanto com cerca de mil participações, o sistema de transporte não atende a contento às modificações geradas pelo desenvolvimento urbano, causando forte impacto na mobilidade – avalia o vereador Rodrigo Furtado, apontando para a necessidade ainda de que o poder público realize investimentos em mobilidade, aumentando a rede de corredores/faixas exclusivas para ônibus, o que garantirá também redução no tempo de deslocamento dos usuários, entre outros benefícios.

Segundo o vereador pastor Washington Uchôa, a questão da acessibilidade é outro ponto fundamental que precisa de uma atenção especial.

Muitos coletivos não têm o elevador de acessibilidade e os poucos que possuem costumam não funcionar. Já recebi relatos de muitos cadeirantes que ficaram até uma hora no ponto esperando um ônibus acessível e, quando o mesmo chegou, o elevador estava com problema – disse o parlamentar, ressaltando ainda a questão da dupla função dos motoristas de ônibus que precisam dirigir e cobrar, sobrecarregando ainda mais o trabalho.

Os integrantes da comissão explicam que o trabalho foi encerrado, mas continuarão a acompanhar o processo de licitação e as melhorias empregadas no transporte coletivo de Volta Redonda de forma efetiva.