Alunos apresentaram no evento diversos produtos, como bijuterias, toalhas, cachecóis e recicláveis

A Secretaria de Saúde de Barra Mansa, através do CAPS (Centro de Atenção Psicossocial), realizou nesta sexta-feira, dia 11, a Feira de Artesanato dos pacientes do CAPS Estamparia. Entre os produtos vendidos estavam objetos recicláveis, bijuterias, toalhas e cachecóis, tudo feito através das oficinas diárias com uma artesã profissional.

A coordenadora do programa de Saúde Mental, Álcool e outras Drogas, Maria Elvira, explicou que o objetivo é promover a reinserção dos pacientes psiquiátricos e as oficinas são ótimas ferramentas. “O Caps trabalha com várias oficinas terapêuticas, como artesanato, educação física e grupos de terapia. Todos com ênfase na escuta dos pacientes e na promoção deles enquanto cidadãos”, completa, salientando que a oficina de artesanato acontece durante as manhãs de 9 às 11h.

Grande parte dos pacientes que praticam artesanato no CAPS possui transtornos como esquizofrenia, psicose e autismo. A artesã Luciana Pinheiro é responsável por ensinar a essas pessoas a arte de bordar, pintar e criar novos produtos a partir de materiais recicláveis. Segundo ela, mesmo com pouco mais de um ano de trabalho a diferença é nítida. “Muitos pacientes tinham dificuldade de se socializarem e após a oficina estão mais comunicativos, apresenta redução nos quadros de crise e com a auto-estima elevada”.

De acordo com Luciana, a ideia de realizar a feira de artesanato partiu dos próprios alunos. “Eles produziam os itens artesanais e não tinham como expor. Foi daí que surgiu a ideia de montarem a feira para que tivessem a oportunidade de mostrarem à sociedade do que são capazes e de interagir com o público”, completou dizendo os pacientes participaram de todas as etapas até na escolha dos valores que variam de R$ 1 a R$ 40.

Para a coordenadora do CAPS Estamparia, Nairá Antunes, o resultado na vida dos pacientes psiquiátricos é notório e traz satisfação à equipe.  “Houve uma evolução muito grande desses pacientes. Desde a interação com mais pessoas, até na comunicação e na concentração que é essencial para que o trabalho seja desenvolvido. Muitos acabam se distraindo e com isso as fortes crises que antes eram comuns, se tornam cada vez menores”, afirma.

O paciente Sebastião de Souza é um dos mais animados da oficina e consegue enxergar a mudança interior que passou após o trabalho desenvolvido. “É muito bom porque distrai a mente, acalma e ajuda na concentração. Posso dizer que minha vida mudou de ruim para melhor”, ressalta.

ATENDIMENTO NO CAPS – O CAPS Estamparia está situado na Rua Ari Fontenelle, 292. Atualmente, o Centro atende mensalmente cerca de 450 pessoas. O atendimento é feito por um grupo multidisciplinar composto por psicólogos, psiquiatras, enfermeiros, técnicos de enfermagem, assistentes sociais, artesã e equipe de apoio. Funciona de segunda a sexta-feira, das 8 às 17h.