Chefe do Executivo reforça a necessidade do isolamento domiciliar

O prefeito de Barra Mansa, Rodrigo Drable, divulgou na manhã deste sábado (28), que dois médicos do município testaram positivo para o novo coronavírus. Eles trabalham em outra cidade e possivelmente foram contaminados em serviço. Os pacientes estão em isolamento domiciliar há 14 dias e passam bem.

Drable reafirmou a necessidade de as pessoas permanecerem reclusas em suas casas. “Existe um movimento no Brasil para que as pessoas retomem as suas atividades profissionais. Governadores e prefeitos estão sendo pressionados para liberar o funcionamento do comércio e das empresas. Há uma inquietação social muito grande.

No entanto, precisamos evidenciar duas preocupações que nos afligem: a preservação de vidas, eliminando as possibilidades de contágio, e a sobrevivência econômica. Se não tivermos dinheiro circulando, empregos e salários, a situação se desdobra em preocupações de ordem social. Pois, pais de famílias precisam buscar alternativas para alimentar seus filhos. Essa inquietação social está sendo manifestada no país por agressividade dentro de suas próprias casas, saques, invasões e pequenos furtos. Por outro lado, precisamos estar preocupados em deter o avanço dessa doença. E isso só é possível se, neste momento, mantivermos o isolamento domiciliar e estruturarmos a nossa rede de saúde, em nível mundial, que não foi construída para enfrentar uma pandemia infecciosa. Em Milão, na Itália, foram contabilizadas cerca de cinco mil mortes pelo Covid-19.

O prefeito da cidade pediu perdão aos cidadãos por não ter adotado inicialmente, as medidas de isolamento domiciliar. Nós não podemos chegar a esse ponto, sequer cogitar essa possibilidade”, destacou Rodrigo, salientando que está muito sensível a necessidade de o comércio voltar a funcionar para garantir os empregos e a renda dos mais pobres, mas que essa decisão precisa ser comum a todos os municípios da região.

O prefeito salientou ainda as diferenças entre a rede de saúde de Milão e a do Brasil. “Por mais que estejamos trabalhando para essa estruturação, talvez todo o nosso esforço não seja suficiente frente ao problema que a gente pode vir a enfrentar nas próximas semanas. Aqui, em Barra Mansa, estamos concluindo as adequações necessárias para que a UPA da Região Leste seja um Centro de Triagem de Infectologia. Já fizemos a reforma e estamos aguardando que o Governo do Estado nos envie equipamentos, inclusive respiradores e monitores. Vamos funcionar com 10 leitos completos de UTI. Diante dessa realidade, a sociedade precisa ter consciência da gravidade da situação e entender que ainda não é o momento de voltarmos às atividades”.

Neste momento, a intenção do prefeito é continuar buscando junto aos empresários, comerciantes, geradores de empregos, trabalhadores e todos os segmentos da sociedade, a construção de um método seguro, com protocolos a serem seguidos, que estabeleça uma norma possível de ser realizada. “Não adianta traçar normas que sejam impossíveis de serem colocadas em prática. Podemos usar como exemplo, o uso do álcool gel. Como estabelecer o uso desse produto se está em falta no mercado? A realidade é muito dinâmica, muda a toda hora, por isso a complexidade de elaborar um planejamento”. 

Prefeito defende que o momento inspira cuidados

Diante da defesa de muitos ministros para o retorno às atividades, o prefeito analisou que ainda não estamos preparados para essa iniciativa, por desconhecer qual será a evolução do quadro da doença no país. “É uma onda, que exige a estruturação da rede de saúde, o convencimento de que as pessoas precisam permanecer em suas casas para evitar a propagação do vírus e, simultaneamente, a sobrevivência econômica em nível mundial”.

Rodrigo Drable enfatizou ainda que em conferência virtual com o governador Wilson Witzel, na sexta-feira (27), foram confirmados 431 casos do novo coranavírus no estado do Rio, com o crescimento exponencial da doença. Também foi enfatizado o reforço das barreiras sanitárias e a busca por  medidas para que as pessoas não passem fome. “O governador determinou mais 15 dias de isolamento domiciliar. Inicialmente, tínhamos cogitado a possibilidade de o comércio retomar no próximo dia 1º, com expediente reduzido e horários de ônibus estratégicos para que os trabalhadores da indústria não se encontrassem com trabalhadores do comércio, a fim de evitar aglomerações.

Mas, voltamos atrás e, neste momento, não existe essa chance. Vamos reavaliar a situação no dia 4 de abril, até porque essa situação exige que Barra Mansa esteja com o protocolo de ações pronto. Outro aspecto que precisa ser levado em consideração é que se permitimos a abertura do comércio da cidade, a tendência é atrair consumidores de outros municípios para cá. Penso que a abertura do comércio precisa ser harmonizada entre a região. Nesse momento de  discussão e embate político é fundamental buscar equilíbrio, harmonia e bom senso, pois nosso principal compromisso é com a preservação da vida”.

Ainda sobre a conferência com o governador, Rodrigo Drable disse que Witzel foi muito claro em suas colocações e que as determinações precisam ser cumpridas, se necessária com apoio da Polícia Militar.

Drable fez um apelo aos cidadãos para que aproveitem esse momento de quarentena e cuidem de seus quintais, áreas e casas, a fim de evitar outro grave problema: a proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika vírus e febre chikungunya.

Ele reforçou a necessidade de doação de cestas básicas para auxiliar as famílias que estão passando por dificuldades alimentares. Disse que aqueles que puderam fazer a doação devem entrar em contato com a secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, que a equipe providenciará meios de buscar os mantimentos. O telefone/Whatsapp do órgão é (24) 99987-5992.

Com referência à volta às aulas, o prefeito disse que o decreto municipal vai até o dia 13 de abril, mas que poderá ser renovado. “Não vamos voltar enquanto não for seguro”, concluiu.