Nesta quinta-feira, dia 13, cerca de 50 artesãos comercializaram seus produtos na Praça Sávio Gama, no Aterrado

 A Feira de Artesanato já é tradição em Volta Redonda, são cerca de quatro edições mensais, sempre com opções de peças em pachwork, pinturas, madeira e material reciclado para uso pessoal e decoração, além de gastronomia. Nesta quinta-feira, dia 13, os artesãos comercializaram seus produtos na Praça Sávio Gama, em frente ao Palácio 17 de Julho, sede da prefeitura, no Aterrado.

Nesta edição, os enfeites com tema natalino foram o diferencial. A artesã, Maria do Carmo Mazoti, foi uma das que apostou em artigos de decoração para o Natal. As opções passavam por guirlandas, árvores estilizadas, panos de prato e centros de mesa.

“Trabalho com os mesmos materiais que uso durante todo ano, mas o tema natalino é sempre uma boa aposta para as feiras de final de ano”, disse, lembrando que a decoração de Natal o cliente compra para si e os outros para presentear. “É bom ter as duas opções”. 

A artesã, Luciana Alves Pereira Machado, também investe em artigos para decoração. Ela confecciona flores e plantas artificiais há, apenas, quatro meses e já conquistou clientes fiéis. “As mais procuradas e que mais impressionam são as suculentas. A planta está na moda e esta não dá trabalho para cuidar”, lembrou, afirmando que aposta que o final de ano garanta boas vendas.

A secretária municipal de Cultura, Aline Ribeiro, avisa que as feirinhas acontecem periodicamente, durante todo o ano, em Volta Redonda, mas que por conta da proximidade com o Natal, haverá uma grande Feira de Artesanato na Praça Rotary, embaixo da Biblioteca Municipal Raul de Leoni, na Vila Santa Cecília.

“Os artesãos estarão no local entre os dias 20 e 23 de dezembro”, disse Aline, lembrando que a Vila é um dos principais centros comerciais do município e atrai muitos consumidores nesta época do ano. “Será uma grande oportunidade para alavancar as vendas”, acredita a secretária.

Álvara do Nascimento, moradora do Retiro, aproveitou a ida ao dentista, no Aterrado, para prestigiar a Feira de Artesanato. “Já conheço o trabalho da maioria deles, pois sempre tenho o hábito de comprar presentes artesanais. Acho que tem mais personalidade e identificação com a pessoa que ganha”, contou, afirmando que também vai prestigiar a edição de Natal. “Sempre ficam umas lembranças para comprar de última hora”.

 Para o prefeito Samuca Silva, a Feira de Artesanato é a vitrine do artesão. “O trabalho artesanal tem essa característica de aproximação com o cliente. Ele quer ver de perto como é feito, tocar o produto para se encantar e comprar”, acredita Samuca, lembrando que as feirinhas estão sempre em locais de grande circulação de pessoas.