Mais de 20 alunos participaram da ação recreativa em Barra do Pirai

Para lembrar o Dia Mundial de Sensibilização para o Autismo os alunos do Sítio Escola Municipal Espaço de Integração do Autista Thereza Aguiar Chicarino de Carvalho (SEMEIA) participaram nessa sexta-feira, dia 06, de uma atividade recreativa em um parque aquático em Barra do Pirai. Mais de 20 alunos estiveram presentes na açãojunto com os seus responsáveis, além de  29 professores.

Segundo a diretora da instituição Lúcia Regina Cruz, o convite para que os alunos participassem de uma atividade no parque aquático foi de extrema relevância.

“O convite foi muito bem recebido pelos alunos. A inclusão do autista no meio social é de grande importância para o desenvolvimento deles. Muitos jamais teriam a oportunidade de viver essa experiência. Durante a semana nós realizamos diversas atividades para celebrar essa data que dá visibilidade ao autismo”, disse.

De acordo com o prefeito Samuca Silva, a cidade disponibiliza uma rede de apoio no desenvolvimento desses alunos “A partir de um trabalho especifico as escolas podem estimular os alunos para o desenvolvimento do seu potencial. Essa rede dá muito apoio para que esse trabalho seja realizado com muita qualidade”, disse o prefeito.

Além do Sítio Escola Municipal Espaço de Integração do Autista Thereza Chicarino Aguiar de Carvalho, que atende a 83 alunos, Volta Redonda conta com a Escola Especializada Dayse Mansur da Costa Lima, que fica no bairro Jardim Paraíba que atende os alunos até os seus 16 anos.

Para Tânia Ázaro, que estuda psicologia para entender melhor o autismo de seu filho Talisson, de 23 anos, é muito significativo estimular os alunos. “Eu percebi que meu filho tinha algo aos sete meses, porém o diagnostico só foi feito aos 11 anos. Os autistas precisam de estímulos, e estar aqui hoje é uma forma de estimular através do convívio social. Nós como pais lutamos para que a sociedade inclua os autistas, mesmo sendo tão complexa e ainda muito desconhecida”, contou.

Segundo a secretária de Educação, Rita Andrade, atividades como essas mostram para a sociedade que o Autista pode estar inserido no meio social.

“A educação especial trabalha exatamente esses estímulos nos alunos. Nossa responsabilidade é desenvolver os autistas para que eles possam cada vez mais estar no convívio social, pois ainda é pouco falado sobre o assunto na sociedade”, enfatizou.